ANTICONCEPCIONAL JÁ EVITOU 200 MIL CASOS DE CÂNCER

Um estudo divulgado pela revista ‘The Lancet Oncology‘ conta que as famosas pílulas anticoncepcionais já impediram cerca de 200 mil casos de câncer de endométrio nos últimos 10 anos. Para a realização da pesquisa, foram analidados os dados de 27.276 mulheres com câncer no endométrio e de 115.743 mulheres saudáveis. O resultado mostra que 400 mil casos da doença foram completamente evitados por mulheres tomando o anticoncepcional.

Segundo o estudo, a cada cinco anos tomando o anticoncepcional oral, as chances de desenvolver câncer de endométrio são reduzidas em cerca de um quarto. Com a alta quantidade de hormônios da pílula, a quantidade de estrogênio natural que circula pelo corpo cai e reduz o risco de produzir a doença.

ANTICONCEPCIONAL JÁ EVITOU 200 MIL CASOS DE CÂ

A redução do risco, continuou por mais de 30 anos depois que as mulheres pararam de tomar a pílula. Assim, dá para ver o efeito protetor e prolongado das pílulas.

Tudo sobre a pílula anticoncepcional

A “milagrosa pílula” como também é conhecida, surgiu nos Estados Unidos da América nos anos 50 e começou a ser comercializada nos anos 60. Foi uma das principais responsáveis pela queda da taxa de natalidade de muitos países e também pela revolução sexual de sua geração.

O brilhante químico Luís Miramoentes descobriu em 1951 como retirar progesterona sintética de plantas, para assim, o medicamento ser produzido na indústria. Os anticoncepcionais comercializados são as cominações de estrogênio e progesterona.

Enarre os prós e contras, não ovulas permitiu que as mulheres controlem o número de filhos que queriam ter e regular o seu período menstrual. O remédio ajudou as mulheres a construir cada vez mais seu espaço na sociedade. Sem os filhos, passaram mais tempo fora de casa, universidade virou opção e o mercado de trabalho passou a recebe-las.

Já no Brasil, a primeira pílula apareceu no mercado em 1962.


Você também pode gostar ...