Como tratar o refluxo


Foi diagnosticado em uma pesquisa que cerca de 35 milhões de brasileiros tem refluxo, estes em diversas idades, o que faz com que retorne o alimento pelo esôfago, juntamente com o sulco gástrico, causando assim uma queimação.

O refluxo é um problema que atinge a entrada de alimentos no esfíncter inferior do estômago, fazendo o alimento volte junto com o sulco gástrico causando lesões.

Em bebês pode ou não ocorrer vômito, mas quando não há regurgitação aumenta a probabilidade do ácido queimar o esôfago da criança e se este conteúdo chegar á traquéia podendo desencadear uma pneumonia.

Em adultos pode ocorrer a falha na válvula que pode ser genética ou não. Cigarro, estresse e má alimentação podem ser fatores que desencadeiam esta patologia. A acidez do sulco gástrico dá a sensação de queimação, podendo ser confundida com a azia, gastrite ou úlcera, a tosse seca pode ser um dos sintomas.

Este problema atinge cerca de 25% das crianças e 20% dos adultos. O tratamento é feito com antiácidos ou algum remédio que, falando de forma grosseira, empurra a comida e o leite mais rapidamente. A diferença de adultos para crianças é que o adulto em casos graves deve operar.

Portanto o refluxo é uma fraqueza ou uma má formação no músculo responsável por fazer com que o alimento permaneça no estômago e faça a digestão. Se o refluxo nos bebês for freqüente poderá levar á desnutrição, além de pneumonia e esofagite. Lembrando que se o problema persistir por mais de 20 dias, já pode levar á lesões, por isso o interessante é procurar um médico logo que os sintomas forem freqüentes.

Cuidado recomendado é deixar a criança no colo até arrotar, evitar chacoalhar a criança aos mamar, colocá-la para dormir com o berço inclinado, evitar alimentos proibidos, engrossar o leite se indicado pelo pediatra e seguir a medicação corretamente, para adultos o indicado é seguir as orientações médica.