Tratamentos para infertilidade

Está desempregado?
Marketing por

A infertilidade atinge grande parte da população, mais do que imaginamos, isso pode se dar pela opção dos casais deixar para ter filhos com o avançar da idade. Costuma-se afirmar que o homem ou a mulher são inférteis quando passa um ano tentando a concepção.

Aproximadamente dois em cada dez casais têm dificuldades em engravidar. Das causas desta infertilidade 30% são de causa masculina, 30% de causa feminina, 30% de causa do homem e da mulher e 10% de causas indeterminadas.

Dentre estes casais que não conseguem a fertilização, os 30% das mulheres inférteis são por causa de algumas patologias como: endometriose, problemas de ovulação, óvulos de baixa qualidade, Síndrome dos ovários policísticos, Obstrução nas trompas e idade avançada.

Já nos homens as causas podem ser por: Obstruções no canal de liberação do esperma, Problemas nos espermatozóides e alergia dos espermatozóides.

Assim após fazer exames no casal é que o médico irá determinar qual o tipo de tratamento será usado para que seja fertilizado. Na maioria dos casos o tratamento é progressivo, ou seja, os tratamentos mais baratos e pouco invasivos são usados primeiramente e só depois é que outros métodos serão inclusos, como os mais caros e invasivos.

Alguns tratamentos para a infertilidade são:

• Indução da ovulação: Este tratamento é mais indicado para mulheres com problemas na ovulação ou com síndrome do ovário policístico, neste tratamento a mulher passa a fazer a administração de medicamentos que induz a liberação de óvulos pelo ovário no período certo. É preciso tomar cuidado para que não ocorra uma gestação múltipla, por causa de um folículo muito maduro e hiperestimulação dos ovários. O monitoramento de quando o óvulo foi liberado é feito através de ultrassom endovaginal.
• Fertilização in vitro: Também é conhecida como FIV (fertilização in vitro) ou como antigamente, conhecida como bebê de proveta. Esta técnica consiste na retirada do óvulo da mulher e na retirada do espermatozóide do homem, para que o espermatozóide possa se implantar no óvulo e posteriormente fazendo a transferência para o útero.
• ICSI: É uma espécie de variação da FIV, hoje em dia é mais utilizada que a fertilização in vitro, isso porque os seus resultados são melhores, atingindo 60% de êxito em mulheres com menos de 35 anos de idade. Isso porque o espermatozóide é implantado no óvulo e assim o embrião é implantado no útero da mulher.
• Inseminação Intra-uterina: Neste tratamento é inserido espermatozóides vivos no útero da mulher, logo após observar que os óvulos foram liberados, na maioria dos casos após 36 horas da ovulação. A ovulação neste caso pode ser natural ou por meio de indução. Esta técnica é indicada para mulheres com endometriose, distúrbios de ovulação, obstrução das trompas ou por infertilidade de causa desconhecida.

Estes são os tratamentos possíveis para uma fertilização que não seja de modo natural, que acontece quando o casal possui algum problema. A chance de sucesso deste tratamento é satisfatória se olhar pelo lado que estes casais nem poderiam ter filhos caso não fizessem o tratamento.

A fertilização em vitro apresenta um aumento de 20% nas chances de engravidar a cada tentativa. No ICSI o aumento das chances em cada tentativa é de 56% e na Inseminação Intra-uterina com indução de ovulação de 20% sobre para 80% de chance em cada tentativa.

Então os resultados são bem satisfatórios, porém é valido lembrar que com o passar do tempo a mulher vai perdendo a qualidade dos seus óvulos e da sua musculatura pélvica, por isso é interessante o quanto antes procurar um tratamento, maiores serão as chances de resultados positivos.

Está desempregado?
Marketing por